O teu histórico de navegação na Internet pode estar à venda brevemente

Trump prepara-se para dar luz verde às empresas de telecomunicações para inverterem as regras de uso dos dados pessoais dos clientes.

Os fornecedores de internet vão ter liberdade para utilizar os dados de navegação dos clientes, de acordo com a proposta dos republicanos que só terá de ser transformada em lei por Donald Trump para colocar em causa todo o paradigma da privacidade online.

Os republicanos consideram que as regras atuais, que exigem aos fornecedores de internet que obtenham permissão dos clientes para poderem utilizar os dados de navegação, dão vantagem a empresas como a Google ou o Facebook, que ficam fora da regulação. Os fornecedores de internet reagiram à aprovação da proposta com a promessa de que honrarão as políticas de privacidade voluntárias.

A oposição democrata lamentou o retrocesso em termos de regras de segurança online dos consumidores criadas durante a era Obama, cuja informação quanto a hábitos de navegação – que apps e que sites mais utilizam – e de consumo, incluindo informação sensível, nomeadamente dados pessoais, passa a estar “à disposição” das empresas de telecomunicações.

Ainda em outubro passado, o Congresso norte-americano tinha aprovado regras da Comissão de Comunicações Federal que exigiam aos operadores a permissão dos clientes antes de poderem recolher dados privados relativo às atividades online do cliente e vendê-los para uso publicitário. As empresas de telecomunicações não deixariam de ter acesso a esses dados, no entanto não poderiam utilizá-los.