Pedrogão Grande: Jornal galego diz que Portugal recusou ajuda

ATUALIZAÇÃO: Governo explica por que não autorizou ajuda da Galiza para combater o fogo

Um contigente espanhol de 60 bombeiros com dois camiões cisternas estava pronto para ajudar mas terá sido travado na fronteira

“Foi uma sensação agridoce. Estavamos conscientes da situação que se estava a passar em Portugal, estavamos preparados para intervir e ajudar e por uma questão burocrática impediram-nos de ir lutar contra um problema grave que acabou com tantas vidas”, lamentou ao El Correo Gallego um dos 60 bombeiros espanhóis que, segundo o jornal, foram travados em Valença do Minho por falta de autorização do governo português.

De acordo com a notícia no site da publicação, o argumento das autoridades portuguesas foi a falta de capacidade para organizar tanta gente. “Estamos sobrecarregados e não podemos permitir que passe mais ajuda”, terá sido a resposta.

A comitiva espanhola foi reunida “em menos de dez horas” durante a noite de domingo para segunda e incluia dois camiões-cisterna com capacidade para 30 mil litros de água cada um.

“Foram minutos de tensão” na fronteira, escreve o jornal galego, que cita outro bombeiro: “Se não nos queriam na primeira linha, podíamos ajudar muito nos trabalhos do pós-incêndio”.

Fonte: Visão

Bruno Nogueira arrasa com Quintino Aires por causa da droga

Esta não é a primeira vez que declarações de Quintino Aires, comentador, se tornam virais. Desta feita, o psicólogo disse na televisão nacional que “75% das pessoas que consomem cannabis envolvem-se sexualmente com pessoas do mesmo sexo”. “Acha que sem a cannabis 75% das pessoas se envolvem sexualmente com pessoas do mesmo sexo? (…) Altera a consciência ou não altera a consciência?”, questionou.

Agora, eis a resposta de Bruno Nogueira. No seu programa “Mata-bicho”, começa por dizer: “Anda a dar que as declarações do maior maluco dos programas da manhã: Quintino Aires”. “Eu por um bom filtro, mamo na boca de tudo o que mexe. “Quantos vezes é que não acontece começarmos a fumar um charro com uma namorada e acabarmos ao colo do pai dela? Há muita gente que, à terceira passa, começa a mudar de voz e aparecem-lhe umas plumas na cabeça. O consumo de haxixe leva ao travestismo”, diz o humorista.

Eu gostava era de fumar o que o Quintino fuma ou o que fumavam os professores que deram o diploma de Psicologia ao Quintino. Quer dizer, segundo sei, ele já foi expulso da Ordem dos Psicólogos. Segundo sei, ele já foi expulso da ordem dos psicólogos, só lhe é permitido dar consultas a troncos de árvore ou a rochas basálticas”, termina.

Fonte:
http://www.vip.pt/bruno-nogueira-arrasa-com-quintino-aires-por-causa-da-droga

“TVI não recebe lições de ninguém” em reacção à abertura de um processo da ERC sobre reportagem polémica

No seguimento da reportagem de Judite de Sousa (ver aqui) e de várias reações de colegas e figuras públicas (ver aqui), foi aberto um processo na ERC por ter recebido várias queixas.

“A estação de Queluz reage à abertura de um processo de averiguações pelo regulador da comunicação social, ERC, por causa de uma reportagem sobre o incêndio de Pedrógão Grande

A TVI não compreende porque está a ser alvo de um “processo de averiguações sobre a cobertura jornalística dos acontecimentos em Pedrógão Grande”, anunciado pela ERC, entidade que regula a comunicação social. Em causa está uma reportagem transmitida no Jornal das 8, domingo, na qual se vê a imagem de um cadáver na estrada, sobre a qual a ERC diz ter recebido mais de uma centena de queixas. “Porquê a TVI? Porquês só a TVI? O que havia de especial nessa reportagem que motiva a ERC justificar-se com uma sintonia “com a sociedade portuguesa” que ninguém viu”?, questiona a direção de informação da estação de Queluz.

“A Direção de Informação da TVI não recebe lições de ninguém sobre sensibilidades profissionais. Nem pelo regulador, que se deve limitar ao cumprimento do seu dever e da missão que lhe foi fixada pelas leis da República”, é escrito num comunicado divulgado esta noite.

A TVI reconhece que num dos locais da reportagem “estava efetivamente um cadáver, estendido há muitas horas e tapado com um lençol branco – a pior das metáforas da incapacidade da assistência civil atender todas as populações que foram implacavelmente atacadas pelas chamas”, sublinhado que “esta circunstância confere um evidente relevo informativo, que não compete ao regulador definir”.

A Direção de Informação lembra que “há órgãos de comunicação social que decidiram revelar fotos de crianças que morreram nos incêndios. Outras televisões abriram os principais serviços noticiosos mostrando corpos espalhados no chão, enfatizando o gigantesco cemitério em que num ápice se transformou aquela que fica para a nossa memória coletiva conhecida como a estrada da morte”. No entanto, salienta, “não têm sido essas as nossas opções territoriais. Conscientemente a TVI tem procurado respeitar a dor de quem sofre, sem a esconder”.

A estação lamenta “profundamente a terrível catástrofe” e avisa que “chegará ao momento de fazer as perguntas sobre o que falhou, porque falha sempre, e como é possível falhar nestas proporções. O cumprimento do nosso papel de órgão de comunicação social é tributário dos mais profundos sentimentos que abalam o povo português. Mas também da obrigação de o manter informado, vigilante e exigente – para que não volte mais a acontecer”.”

Fonte: DN

Denúncia mostra como é feita a distribuição das chamadas para ajuda das vitimas de Pedrógão Grande

EDITADO: A Sic já esclareceu o motivo da diferença dos 10 cêntimos num comentário do seu Facebook:

“Um Abraço a Portugal é uma linha solidária da SIC/SIC Esperança e o valor angariado nesta linha reverte e reverteu sempre a favor das vítimas dos incêndios. Ao ligar 760 100 100 estará a contribuir com 60 cêntimos (Preço/chamada: 0,60€+IVA).
Esclarecemos que ontem a ajuda era de 0,50 cêntimos porque a SIC ainda não tinha o apoio e contribuição das operadoras MEO, NOS e Vodafone, que se juntaram a nós hoje no Abraço a Portugal.”

—–

Situação denunciada está a gerar polémica no Facebook

A situação foi reportada no Facebook de Victor Queiroz e está a indignar os internautas que pensavam estar todos com um único objetivo, ajudar as vitimas mas segundo o mesmo isso não acontece.

Até ao momento deste post não foi possível confirmar a veracidade dos factos, a denúncia está a desenrolar-se nos comentários da publicação que pode ver vista abaixo:

Entretanto a SIC já esclareceu todos sobre o facto de ontem o valor ser 0,50€ e hoje já ser 0,60€