Há 3 tipos de pessoas que vê pornografia, só 1 é considerado saudável. Qual é o teu?

Quantas vezes você assiste pornô por semana? Você considera que assiste pornô de maneira saudável ou você tem exagerado um pouco na dose?

Assistir a pornô hoje em dia é algo comum e até mesmo considerado saudável tanto para homens quanto para mulheres, porém, algumas pesquisas recentes têm mostrado que alguns grupos de homens têm exagerado um pouco na dose, e que assistir a pornô nesses casos deixou de ser saudável.

Nem todo o público da pornografia é o mesmo. Eles podem ser divididos em três grupos e apenas um desses grupos é considerado saudável.

Esses grupos de espectadores pornográficos seriam: os recreativos, os compulsivos e os angustiados, e provavelmente você já sabe quem é saudável e quem não é.

Os espectadores recreativos são cerca de 75% de todos os participantes do estudo, e costumam assistir em média 24 minutos de pornô por semana. Este grupo consiste principalmente por mulheres e homens que estão em um relacionamento.

O grupo angustiado incrivelmente assiste a menos pornô por semana, ficando em uma média de cerca de 17 minutos semanais. Como o nome sugere, o grupo angustiado associa alguns tipos de sofrimentos emocionais aos vídeos pornôs que assiste, ou seja, esse momento não é tão bom ou prazeroso assim para eles, e é claro, nem um pouco saudável. Esse grupo representa 13,2% dos entrevistados.

Já o grupo dos espectadores compulsivos consiste em apenas 11,8% dos participantes, porém, assiste em média 110 minutos de vídeos pornô por semana, e a grande maioria aqui é de homens solteiros.

Os especialistas da Universidade Laval, em Quebec, que realizou o estudo, concluíram que apenas aqueles que eram espectadores recreativos seriam saudáveis. Para realizar o estudo, os pesquisadores pediram a 830 pessoas que relatassem a frequência com que assistiam à pornografia e, em seguida, avaliaram o quanto eram compulsivos seus hábitos pornográficos e seu nível de sofrimento durante a exibição de pornografia.

Usuários recreativos relataram maior satisfação sexual e menor compulsividade sexual. Usuários compulsivos experimentaram menor satisfação sexual e maior compulsividade sexual. Aqueles que estavam muito angustiados mas assistiam pornô eram sexualmente menos satisfeitos e relataram menor atividade sexual e maior disfunção sexual (perda de libido).

Os especialistas concluíram que o estudo confirma a existência de perfis recreativos e compulsivos, mas também demonstra a existência de um importante subgrupo de consumidores não particularmente ativos, mas altamente angustiados, sendo esse um subgrupo do qual pouco se fala que deve ser estudado mais a fundo.

Apesar disso, é bom saber que a grande maioria daqueles que assistem a vídeos pornôs é considerada saudável, e esperamos que você esteja nesse grupo e que continue nele.

Leia mais https://www.conversadehomem.com.br

O que conta como traição?

Nossas definições de traição precisam ser atualizadas? Pode ser que sim. Em um novo estudo feito com homens e mulheres, foi descoberto que nossos pontos de vista são muito diferentes dos delas e que esse fator acaba causando alguns desconfortos no relacionamento.

Provavelmente você já teve alguma briga com a sua namorada porque suas visões de traição são diferentes, e segundo esse novo estudo, isso é bastante comum porque os homens, em geral, veem a infidelidade de maneira mais permissiva e direta, o que já não é o caso das mulheres.

No estudo publicado pela revista americana “Terapia Sexual e do Relacionamento”, 272 estudantes de graduação do sexo feminino e 82 estudantes do sexo masculino foram consultados através de um questionário em que a personalidade e opinião de cada um era questionada quanto aos pensamentos e sentimentos íntimos de cada um, e de que maneira esses pensamentos estavam relacionados entre os sexos e em um relacionamento em geral. Outro quesito levado em consideração foi em relação ao medo de ter sua intimidade e sensibilidade muito exposta e ser rejeitado.

Para saber o que conta como traição ou não, a infidelidade foi classificada de três maneiras: infidelidade sexual, infidelidade emocional e infidelidade fantasiosa.

  • Infidelidade sexual: Inclui qualquer ato sexual, como sexo vaginal, sexo anal, sexo oral e até mesmo beijos.
  • Infidelidade emocional: A infidelidade emocional pode incluir o flerte, troca de mensagens com outras mulheres, demonstração de interesse nas redes sociais, etc. Tudo isso sem que aconteça qualquer coisa física.
  • Infidelidade fantasiosa: Mais subjetiva ainda, essa é a infidelidade que de fato, não acontece, como quando você se imagina tendo relações sexuais com outras mulheres, por exemplo.

Os pesquisadores conseguiram perceber que as mulheres veem o relacionamento como algo muito íntimo e carregado de sensibilidade, e por isso, estão mais propensas a encararem como traição a infidelidade sexual (que envolve relações físicas em diversos graus) e a infidelidade emocional (que pode ser uma paixão ou tara do parceiro por outra mulher).

Enquanto isso, os homens foram percebidos como indivíduos mais propensos a encarar um relacionamento de maneira mais fria, com uma certa aversão à monogamia e com um maior medo de compartilhar seu íntimo.

O que é traição, então? Segundo elas, se você tiver alguma relação física na sua despedida de solteiro, é traição. Se você começa a trocar mensagens com aquela gata do trabalho, é traição, e existem outras milhares de maneiras de cruzar essa linha.

A não ser que você esteja em um relacionamento aberto, traições podem ser péssimas, e as mulheres provavelmente irão ver isso de uma maneira muito mais profunda que você, com grandes chances de que seu relacionamento termine por ai. O melhor jeito de garantir que isso não aconteça? Primeiro, converse com ela e veja o que ela considera traição, o que pensa sobre fidelidade e exclusividade, mas também tente não dormir com outra mulher, né?

Sempre podemos ser solteiros e aproveitar com todas elas, mas quando temos uma em especial, o melhor caminho é respeitar o que ela considera traição. Pensamos diferente delas, mas quando queremos, estamos dispostos a passar por cima disso.

Leia mais

20 nomes dos piores homens na cama (versão 2017)

Uma universidade, resolveu fazer um estudo no que pode influenciar o desempenho na cama relativo ao primeiro nome do homem.

Dado que a performance na cama é uma coisa que cada vez mais preocupa homens e mulheres, foram inquiridas centenas de mulheres com a pergunta do primeiro nome do homem com quem tiverem piores experiências na cama.

Segue a lista:

1 – Pedro
2 – Rafael
3 – João
4 – Ricardo
5 – Victor
6 – Lucas
7 – António
8 – Francisco
9 – Luís
10 – Alberto
11 – Marcos
12 – Fábio
13 – Gabriel
14 – Eduardo
15 – Leandro
16 – Tiago
17 – David
18 – Rodrigo
19 – André
20 – Leonardo

Identifica o teu amigo que tem o nome na lista.

Casal sem-abrigo apanhado a fazer sexo à porta da garagem

Uma jornalista apanhou um casal de sem-abrigo a fazer sexo à porta da garagem de casa, em Hull, Inglaterra. A mulher saiu à rua para fumar um cigarro e deparou-se com movimentos “inconfundíveis” debaixo de um cobertor.

Segundo os media britânicos, a jornalista Faye Preston ficou dividida entre oferecer uma chávena de chá ao casal para mantê-los quentes, ou chamar a polícia. Faye decidiu deixar os sem-abrigo onde estavam, sem incomodar, e eles não saíram do mesmo sítio, acabando por passar a noite em frente à casa da mulher.

“A minha simpatia terminou quando saí para o trabalho no início da manhã do dia seguinte e voltei a encontrá-los na mesma situação”, contou a jornalista. “Eles estavam a fazer sexo na minha calçada, cercados por latas de cerveja. O movimento debaixo dos cobertores era inconfundível”, acrescentou.

Posto isto, Faye considerou que o casal passou todas as marcas de civismo e resolveu entrar em contacto com a polícia, que chegou um dia depois e retirou os sem-abrigo do local. Apesar de tudo, a mulher diz ter grande simpatia pelas pessoas que não têm para onde ir, no entanto, não quer que este incidente se torne regular.

“Eu só consigo imaginar: ‘Desculpem, eu não quero acordá-los mas preciso de ir para o trabalho, e podem ser corridos daqui se continuarem a fazer isto'”, escreveu a jornalista.

Faye Preston adora o sítio onde mora e mesmo depois deste incidente não quer abandonar a sua rua, e muito menos a cidade de Hull.

Fonte: CM